Adeus MacOS! Olá Windows!

Adeus MacOS! Olá Windows!

Depois de 11 anos usando MacOS, resolvi me despedir do meu MacBook Air! Ok, não foi bem uma despedida pois ele ficará com minha esposa, mas resolvi partir para um outro note e usar Windows 10 e dual boot com Linux.

Essa foto acima provavelmente descreve a expressão de muita gente que acabou de ler o que escrevi. Eu, inclusive, até pouco tempo, também faria essa cara mas… Decidi escrever esse artigo para contar para você que me lê os motivos que me fizeram abandonar de vez a Apple. Não que eu não goste, não que eu não queira voltar ou continuar usando MacOS, mas se tornou algo insano de mais.

Onde tudo começou

Eu sou formado em Designer Gráfico, porém nunca atuei como e usei o que aprendi na faculdade para me tornar um programador front-end mais completo na época.

Um dos meus sonhos era ter um MacBook, mas era algo inviável na época. A Apple não olhava mais para o Brasil como grande consumidor de seus produtos, tanto que só fomos ter uma loja oficial por aqui há pouco tempo.

Somente no ano de 2008 consegui realizar esse sonho. Comprei o primeiro Mac, que foi um MacBook White. Lembro que quando passei o cartão e a compra foi aprovada, meu coração estava acelerado. Comprei pelo Submarino e tive que segurar minha ansiedade por 4 fucking dias até ele chegar. Quando finalmente a entrega foi feita, eu abri a caixa e cheguei a me emocionar. Liguei meu mais novo brinquedo e comecei a aprender a usar. Peguei uma lista dos atalhos (sim, eu não mudei o teclado e até hoje eu usava/uso os atalhos de acentuação e etc com maestria e rapidez).

Na época, lembro que paguei R$ 2700,00 nesse MacBook, o que em dinheiro de hoje na conversão direta do meu chute daria algo por volta 3500/4k, algo caro mais aceitável… Alguns meses depois, comprei meu primeiro iPhone, um iPhone 3 e nascia ali um novo “Fanboy” e admirador da duplaSteve Jobs e Steve Wozniak.

Mais alguns anos fiz a troca para um Pro e lembro de ter pago o total de R$ 3350,00 em um lindo e metálico MacBook Pro, que faleceu esse ano (a durabilidade dos produtos da Apple da época do tio Jobs é incontestável). Em seguida tive um iPhone 4 e depois um 4S.

Pouco antes de eu me casar, malandramente sabendo que minha vida ia mudar, comprei um MacBook Air de 256gb de HD SSD por R$ 5500,00, salgado, já estava subindo o preço mas na época eu tinha dinheiro guardado, um cartão poderoso e era um jovem destemido.

Ter um equipamento da Apple nos dias de hoje passou a ser sinônimo de status. Se a pessoa tem bastante dinheiro ou quer mostrar que tem, compra um caro maneiro, um iPhone e um MacBook Pro, que algumas vezes formata e coloca Windows (tenho vontade de matar uma pessoa que faz isso).

Eu tenho um canal no Youtube, faço edição de vídeos e esse meu pequeno e singelo Air já não dava mais conta de tudo que eu precisava, comecei a pensar em comprar um MacMini e até mesmo comprar outro MacBook, quem sabe um Pro novo. Com muita ousadia de repente um iMac! Mas, vocês já pararam para ver o valor dessa budega? O nosso querido amigo Tim Cook perdeu a noção e, até mesmo nos Estados Unidos, o valor de todos os equipamentos da marca está com preços não muito convidativos. Relutei durante um tempo, mas acabei pensando:

Eu gosto tanto de usar o Mac, a última vez que usei Windows foi com o Vista e se o meu MacBook parar de funcionar o que eu vou fazer?

Além disso, eu precisava de uma máquina mais parruda, nada muito monstruoso, mas que conseguisse “segurar a peteca” do dia a dia do trabalho como líder técnico/scrum master/programador/bebedor de café/pai e como editor amador de vídeo para os vídeos do meu canal no Youtube (que por sinal, se você gosta de moto, se inscreve lá vai youtube.com/falamotociclista).

Depois de procurar um pouco, vi que muitos equipamentos eram mais baratos e mais potentes que as atuais jóias da Apple. Só tinha um problema, minha cabeça aceitar que eu voltaria a usar Windows (Linux no Dual Boot é chuchu beleza, sem grilo e sem treta). Respirei fundo, tomei coragem e mandei a Apple para PQP.

Ok, mas e dai?

Tudo que escrevi até agora foi para contextualizar a situação e explicar por A+B os motivos da troca, se você ainda está lendo isso, muito obrigado por sua atenção.

O que quero deixar registrado aqui para vocês é que eu não estou nem ai para a Maçã, eu quero algo que me atenda e atenda bem! Se vai ser Windows, Linux ou Mac, não importa, mas eu não tenho coragem de pagar 12k em um MacBook Air ou 37k em um iMac Pro! Não existe justificativa para esses valores! E não me venha falar de imposto, pois mesmo com valores altos de impostos, não justifica o valor aplicado aqui. Com 12k, ou muito menos, eu monto um PUTA de um desktop que não vou usar um terço dele.

O principal motivo da Apple cobrar o que cobra por aqui é que nós pagamos! Eles descobriram que o brasileiro adora uma parcela e que se preocupa apenas com o valor dessa tal parcela e não no valor final do produto. Em quando houver o parcelamento em 24, 48 etc vai ter uma pessoa se endividando para ter um Mac e eu, assim como abandonei o iPhone, estou abandonando, com muito pesar, o MacOs.

É claro que não estou considerando até o momento quem tem condições financeiras de comprar, mas na real meu amigo, quem tem mesmo não compra aqui no Brasil pois sabe o valor do seu dinheiro.

O dia que eu ficar rico e for comprar um carrão da porra, um iPhone e um MacBook Pro + um iMac (é, farei isso, pobre não pode ganhar nada na vida que quer ostentar) eu permanecerei com um telefone Android e um Notebook de uma marca qualquer que vai me deixar feliz.

Em fim, era esse o recado que queria dar e assumir publicamente que o antigo Fanboy da Apple mandou o Tim Cook e toda sua galera para um lugar bem desagradável e me sinto como se tivesse quebrando uma corrente, me libertando as garras dessa empresa “capitalista malvadona”, MUA HA HA! 🙂

Ainda não me readaptei totalmente, mas confesso que o Windows 10 está bem bacana. O que me quebra as pernas é o fato do Windows Home não suportar Docker, mas tem um pequeno afago chamado WSL que me deixa menos triste quando estou programando.

Beijo no coração e se beber, não dirija!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *