Arquivos do autor: Fernando Valente

Desafio para uns, aversão para outros e desejo para muitos. Trabalhar em casa requer muito mais esforço e disciplina do que você imagina e pode se tornar um pesadelo se você não souber lidar com a situação. Já tenho uma certa experiência com essa liberdade e, por conta disso, resolvi reunir nesse artigo algumas informações que eu acho importante para quem quer trabalhar ou para quem já trabalha mas precisa de uma ajuda para se organizar. Prós e contras Antes de mais nada é muito importante deixar claro as vantagens e desvantagens de trabalhar em casa, principalmente para quem está começando nessa mova modalidade. A seguir, listei os pontos mais relevantes para mim. Prós Você não perde tempo no deslocamento e pode acordar um pouco mais tarde por conta disso; Ter a liberdade de dar um pulinho na rua para resolver algo quando for preciso; Dar mais atenção para sua família.…

Leia mais

Manter a atenção e o foco com tanta tecnologia está sendo um trabalho bem complicado hoje em dia. Principalmente para nós programadores que, em sua grande maioria, tem acesso livre a internet no seu ambiente de trabalho. Redes sociais, sites de notícia, fóruns de tecnologia etc. Já parou para pensar na quantidade de informação que absorvemos e processamos, direta ou indiretamente, todos os dias? Pode parecer besteira, mas encher a cabeça com informações inúteis, notícias manipuladas e maliciosas, piadas e corrente sem graça nas redes sociais podem fazer com que você processe muitas informações ao mesmo tempo e não processe corretamente o que deve realmente ser processado. Já faz um tempo que venho lendo muito sobre produtividade e tentando encontrar uma forma de organizar minha vida de tal forma que eu consiga ter mais tempo para fazer mais coisa. Mas, em um dado momento, parei para pensar um pouco no…

Leia mais

Existe muita discussão em torno desse profissional. Muita gente acredita que o Full Stack deve ser o gênio de informática, outros acreditam que ele é somente o cara que saca de back e front, mas, no fundo no fundo, o negócio é bem mais simples do que parece. Por conta dessa confusão, muitas empresas estão tomando proveito da situação e exigindo 6 profissionais em 1, mas mantendo o mesmo salário de um único profissional. Um Full Stack Developer é alguém com *familiaridade em cada camada da pilha. Para ficar mais claro o que estou falando, vamos nos aprofundar mais no assunto. *familiaridade fa.mi.lia.ri.da.de sf (lat familiaritate) 1 Qualidade daquele ou daquilo que é familiar. 2Confiança. 3 Franqueza. 4 Intimidade. A imagem acima representa a pilha completa de conhecimentos desejáveis para um Full Stack Developer. Quanto mais fundo ele for, mais completo será esse profissional, mas não necessariamente ele precisa ter conhecimento profundo em todas as camadas dessa pilha. Geralmente esse profissional…

Leia mais

First commit Ao longo da minha vida profissional, já tive blog, deixei de ter e em 2016 parti para o Medium, porém algumas restrições dessa plataforma, que era uma grande queridinha para mim, me fez querer criar um novo canal de comunicação. Sendo assim, cá estou!

Em novembro de 2017 o Preço Certo conquistou o prêmio de melhor Startup do Brasil pelo Santander e, logo em seguida, eu contei essa história aqui no Medium (se você não sabe o que estou falando, clique aqui). Um de nosso prêmios foi uma semana na Babson College para cursar o The Entrepreneur’s Boot Camp: A Deep Dive For New Ventures. Um curso intenso e completo de conteúdo 100% voltado para empreendedores. Conheça um pouco mais do curso assistindo o vídeo abaixo. Uma rapidinha sobre a Babson A Babson College é uma universidade voltada para negócios, fornecendo cursos de graduação, extensão e o famoso The Entrepreneur’s Boot Camp. Sua reputação não é recente, por 24 anos a Babson vem sendo nomeada a melhor universidade dos Estados Unidos para empreendedores e sua última nomeação aconteceu no início desse ano (2018). Ao saber disso, minha ansiedade, que já era grande, ficou ainda maior e foi difícil segura-la por longos 6…

Leia mais

Depois de 2 anos de muita batalha, incerteza e muitas linhas de código, conseguimos nosso primeiro grande reconhecimento profissional do Preço Certo. Fomos campeões do programa Empreenda Santander 2k17, levando para casa um prêmio em dinheiro, uma bolsa de estudos na Babson Collage, mentorias e muito combustível para iniciar 2018 com força total. Uma startup é uma instituição humana designada a entregar um produto ou serviço sob condições de extrema incerteza. Eric Reis Ainda vivemos em extrema incerteza, essa é a nossa e a realidade de inúmeras startups no mundo, mas esse reconhecimento está nos permitindo seguir em frente sabendo que, mesmo com alguns tropeços, estamos no caminho certo em direção ao sucesso. No final de 2016 eu escrevi um artigo falando sobre meu maior desafio profissional naquele ano (se você não leu, de uma lida em Preço Certo. Meu maior desafio de 2016). Hoje parei para ler ele novamente e vi que precisava atualizar…

Leia mais

Eu não sei o que me levou a escrever esse post, mas resolvi me apresentar e contar um pouco quem sou eu, profissionalmente falando. Por ser um conteúdo bem diferente dos que venho publicando, vou compreender se você passar batido e não chegar até o fim, mas também ficarei feliz em saber que você leu tudo e agora me conhece um pouco melhor, mesmo eu não sabendo quem é você 🙂 O “sobrinho” Como quase todo programador, eu comecei minha carreira sendo o famoso “sobrinho”, mesmo sem ter noção de que era um na época. Se você não sabe, basicamente o sobrinho é o cara que “mexe com computador”, acha que sabe coisa para caramba e seus “tios” (mais conhecidos como clientes que querem pagar pouco) acreditam que você é o cara que pode resolver todos os seus problemas: impressora, telefone sem fio, celular, site, café etc. Eu tinha uns 14…

Leia mais

A pouco tempo resolvi me aprofundar mais Python e olhar para essa linguagem com outros olhos. Pensando nisso, comprei vários livros, comecei a ler vários artigos e vários assuntos diferentes, não ficando apenas no mundo Python + Django. Nessa minha busca por outros ares, bati num assunto bem legal, Redes e Python. Sendo assim, além dos artigos de Django que venho postando, vou iniciar uma série de artigos relacionados a esse assunto. Antes de botar a mão na massa, quero deixar claro uma coisa. Não sou o dono da verdade e o objetivo de todo post técnico que eu crio é repassar conhecimento. Portanto, deixe seu comentário e faça sua crítica (com conteúdo por favor) 🙂 Você que usa Django, já parou para pensar como o “runserver” funciona? Eu já, mas tenho certeza que, assim como eu, muita gente só passou o olho no código e não parou para tentar entender…

Leia mais

Vamos falar sobre isso de uma vez por todas?!?! Amigos Pythonianos, tudo bem? Preciso confessar que estou sofrendo… E muito! Trabalhar com um código legado quase sempre é uma enorme dor de cabeça, mas não deveria ser assim. O motivo? ZONA total!!! Ok, não sou o programador mais limpo da face da terra, mas garanto que não sou sujo como alguns projetos que encontro por ai! Mas, antes de entrar efetivamente no mundo das PEPs, precisamos primeiro saber o que é, o que comem, onde vivem… O que são as PEPs? PEP — Python Enhancement Proposal (ou Proposta de Melhoria do Python) é um documento que tem como objetivo fornecer informações da linguagem para a comunidade Python. Uma PEP é capaz de fornecer uma especificação técnica concisa de recursos e justificativas para a utilização deste recurso. Atualmente existem várias PEPs disponíveis (várias mesmo), mas confesso que dentre todas elas, a mais importante para mim (a…

Leia mais

Você sabe como o import no Python funciona? Muita gente sabe para que serve, mas não como ele realmente funciona. Diferente de outras linguagens, o import do Python não é apenas a adição textual de um arquivo X em um arquivo Y, ele vai muito além disso. Quando utilizamos o import, ele executa 3 ações: 1) Procura pelo módulo importado Quando colocamos import something seria o mesmo que informar /dir/something.py. Feito isso o Python irá procurar pelo módulo referenciado em seu import para, se preciso, transformar ele em byte code. 2) Se for preciso, compila em byte code Como dito anteriormente, após localizar o módulo referenciado em seu import, o Python irá criar um arquivo .pyc compilado em byte code. Além disso, é verificado se o arquivo está ou não atualizado, se for preciso ele é recompilado no momento em que o programa for “restartado”. 3) Executa o código do módulo importado Para esse terceiro passo resta executar o byte code gerado no passo anterior.…

Leia mais

10/11