Liderando equipes. O que eu tenho para dizer?

Liderando equipes. O que eu tenho para dizer?

De um ano e pouco para cá eu venho exercendo uma nova função na empresa onde trabalho atualmente, a Finxi. Eu comecei a trabalhar lá em Fevereiro de 2015 como freelancer e, em Maio do mesmo ano, passei a ser funcionário em tempo integral. Cheguei lá como programador Python e tive a enorme felicidade de ter atuado com principal desenvolvedor do Preço Certo, projeto que nos rendeu um prêmio, matéria na Forbes Brasil, uma viagem incrível para os Estados Unidos e muito mais.

Pois bem… 11 anos depois de eu ter começado a trabalhar como programador, eu estava muito desanimado, desmotivado e com a certeza que precisava fazer algo diferente. Foi ai que ganhei de presente a oportunidade de me tornar líder técnico de algumas equipes. Além de mim, outros dois colegas se tornaram líderes técnicos mas cada um com uma pegada bem diferente do outro. Eu tenho atuado mais como gestor, mesmo estando próximo do código e da equipe, venho me aproximando cada vez mais da parte de negócios e gostando muito da ideia de me tornar gerente de projeto em tempo integral.

Ok, ok… O que eu escrevi ai em cima foi só para contextualizar a história, se você não faz ideia de quem sou eu, entra ai no meu site (fernandovalente.com.br) e da um a conferida rápida, mas, vamos em frente e falar do que interessa.

Seja um líder, não seja um chefe

Muita gente confunde liderança com chefia. Sua equipe precisa ver você como uma pessoa que está ali para trabalhar com eles, para apanhar por eles e para ajudar eles. Se você for puramente um chefe, você simplesmente ordenará que algo seja executado e será sempre o dono da verdade.

Um chefe quando chega, faz a equipe ficar apreensiva e calada. Um chefe quando liga para alguém faz essa pessoa sentir frio na espinha e desejar que ele “morra”. Um chefe sempre será chamado de FDP. Já o líder não, ele é visto como alguém da equipe.

• O chefe dá ordens, o líder motiva seus colaboradores.
• O chefe passa autoridade, o líder inspira respeito.
• O chefe se preocupa com o nível de produtividade, o líder quer saber sobre o bem-estar dos colaboradores.
• O chefe diz “eu”, o líder diz “nós”.
• O chefe inspira medo, o líder entusiasmo.
• O chefe dá ordens, o líder solicita algo.
• O chefe diz “faça”, o líder diz “vamos fazer”.

Tanto a imagem quanto a lista acima foram retiradas do site do Marcus Marques (https://bit.ly/2F59jfh).

Cuidado, não seja um FDP

Mensagens fora do horário de trabalho, arrogância, assédio moral. Preste atenção nos seus atos. Uma emergência em um final de semana é uma coisa, mas ligações e mensagens fora do horário podem te dar muita dor de cabeça no futuro. Se você precisa falar algo com alguém da equipe fora do horário, anote na sua agenda e coloque um lembrete para o próximo dia útil.

É um processo deliberado de perseguição, mesclado por atos repetitivos e, sobretudo, prolongados. Constata-se nele o objetivo de humilhar, constranger, inferiorizar e isolar o alvo, seja ele quem for no grupo social. Portanto, se devidamente comprovado, não só o subordinado, mas também o superior são passíveis de receber indenização, caso seja vítima de assédio moral

esclarece Natália Leite, integrante do escritório Jairo e George Melo Advogados Associados. Fonte: https://bit.ly/2Qki46a

“Amizade” pode atrapalhar

Sair da produção para a liderança técnica pode não ser um trabalho muito fácil quando “amigos” estão acostumados a ver você no mesmo nível hierárquico (quando falo de nível hierárquico eu não estou querendo dizer que existem pessoas abaixo ou inferiores a você, mas que devem respeitar as suas decisões) e muitas vezes não tem a capacidade de compreender que ele precisa se reportar a você. Querendo ou não, a palavra final será sua e a responsabilidade também.

O sucesso e o fracasso estão de mãos dadas

Como eu falei em cima, o líder técnico é o responsável pela palavra final, o que não significa em hipótese alguma que suas decisões são tomadas sem o apoio e o consenso comum dos envolvidos mas, o que quero dizer é, se tudo der certo, todos são responsáveis, se tudo der errado, VOCÊ é o responsável.

Elogio em público, puxão de orelha no particular

Eu já cometi o erro de dar o famoso “puxão de orelha” em uma pessoa na frente de outras pessoas da equipe. Não faça isso! O elogio sempre deve ser em público, já o puxão de orelha no particular. E por qual motivo? Você não gostaria de ser chamado a atenção na frente de seus colegas de trabalho.

Segure a onda!

Você está à frente de uma equipe a porrada bate primeiro em você! Mesmo que você diga “EU AVISEI”, no fim das contas você deverá fazer malabarismo para acertar as coisas sem ferrar com a equipe. Em vários momentos tudo estará uma mer@#, mas ainda assim, não mostre isso para os envolvidos. Como você se sentiria se seu líder está sempre desmotivado, sempre falando que amanhã vai ser pior, que a vida não presta e que tudo está um lixo? Chore em posição fetal na sua cama, mas sorria e mostre que você está forte, independente de qualquer coisa.

Certa vez, onde tudo estava um lixo, eu deixei transparecer minha enorme preocupação e irritação com o projeto. Uma pessoa de fora da situação me chamou e mostrou o meu erro. O erro foi ilustrado com uma passagem recente que havia acontecido comigo anos antes quando eu estava como programador e ele como gestor. A situação foi muito semelhante e gerou uma briga feia dentro da equipe! Rapidamente eu parei, pensei e mudei minhas atitudes.

Não é fácil, mas você aprende a apanhar

Não é fácil e não é simples. Eu ainda estou aprendendo a lidar com essas situações. Tem horas que da vontade de jogar tudo para o alto mas quando você vê o resultado, a alegria e o sentimento de dever cumprido faz todo o resto desaparecer.

Você vai apanhar e muito, mas segue em frente!

Momento Autoajuda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *